segunda-feira, 30 de julho de 2012

Série Dr. Martin Fischer - 02: Sobrevivente dos Muckers: Coronel Guilherme Gaelzer-Neto - amigo pessoal de Martin Fischer


Fonte do documento: Museu Antropológico Diretor Pestana - MADP de Ijuí.
No ano de 1933, chegava ao Brasil Dr. Martin Fischer, trazendo consigo uma carta de recomendações assinada pelo Coronel Guilherme Gaelzer Neto (conforme registro guardado no Museu Antropológico Diretor Pestana – MADP, de Ijuí, número  0.6.4, pasta 3 documento 8), que foi Intendente (prefeito) de São Leopoldo, de 1902 a 1916. 
Coronel Guilherme Gaelzer Neto
 Na administração de Gaelzer Neto foi instalado a rede de energia elétrica, inicio do processo de urbanização de São Leopoldo, e trouxe o primeiro automóvel para o Vale do Rio dos Sinos, usado pela prefeitura. Também ocupou o cargo de “diretor geral de propaganda oficial brasileira para o norte da Europa” e ficou sediado em Berlim de 1921 a 1941. Como representante comercial realizou inúmeras viagens pela Europa, fazendo apresentações dos produtos de exportação brasileiros em feiras comerciais. Paralelamente ajudou a estabelecer contatos entre empresas alemãs e brasileiras e se engajou no comércio de importação e exportação. Ainda atuou como mediador entre autoridades alemãs e brasileiras e recrutou emigrantes alemães.
Outro visual do Coronel Gaelzer Neto
Em nossas pesquisas encontramos várias correspondências de conteúdo particular entre Dr Martin Fischer e o Coronel Gaelzer Neto, demonstrando a grande amizade e confiança que existia entre eles. Como uma das cartas escritas a bordo do transatlântico ARCONA. 
Transatlântico Arcona
 Utilizando-se do papel timbrado com o selo do navio (MADP 0.6.4 pasta 04, documento 275) e a carta em alemão “...ich als ehrengast des herrn reichskanzlers Adolf Hitlhe auf dem Parteitag in Nuernberg gewesen”...(...”como eu estou sendo honroso hóspede do rico senhor Chanceler Adolf Hitlher, no partido da Unidade de Nurenberg”...)(MADP 0.6.4, pasta 05 documento 173).
Fonte do documento: Museu Antropológico Diretor Pestana - MADP de Ijuí.
 Mas, a figura de Gaelzer Neto nos trás mais uma grande surpresa ao constatarmos que ele foi o menino de apenas seis meses de vida que foi resgatado com vida em meio as chamas da casa de seus avós e pais no ano de 1874, em Ferrabrás, atual Sapiranga(RS), no triste episódio dos “Muckers” (http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolta_dos_Muckers). 
Jacobina e João
  Fora poupado da morte horrível como se lhe estivesse reservado o  destino de ajudar a terra que não acolheu seus antepassados.
Ele era filho de Guilherme Gaelzer Filho e de Maria Sehn, ligados profundamente ao movimento religioso de Jacobina Maurer e seu marido João Jorge Mauer.
Jacobina 
 A história questiona quem seria Jacobina? Uma santa? Uma bruxa? Como Carlos Von Koseritz, fazia questão de publicar no jornal alemão Deutsche Zeitung, na qual era seu redator. Seria uma blasfêmia  para a sociedade da época por ser mulher e pregar a palavra de Deus? Um perigo para a segurança pública por reunir um grupo de imigrantes marginalizados e esquecidos pelo Império? Uma simples mulher destruída pelos interesses dos que detinham o poder do dinheiro, da mídia e do verbo?
 A cada nova pesquisa, procuramos encontrar  respostas para tantas perguntas, e no meio delas, encontramos o pequeno Guilherme Gaelzer Neto, um dos sobreviventes de Ferrabrás.


Pesquisadora e historiadora Marcia Adriana Krug
Postar um comentário