quarta-feira, 25 de maio de 2011

O escotismo na cidade de Ijuí, na década de 70 - continua nos dias de hoje "sempre alerta"!

O escotismo foi fundado em 1907, por Lord Robert Stephenson Smyth Baden-Powell of Gilwell (1857-1941), ou simplesmente Baden-Powell (grafado corretamente com hífen), que nasceu em Londres, Grã-Bretanha.

Reprodução de reportagem no Correio Serrano, 19/10/1970, sobre o escotismo, em especial em Ijuí, na década de 70.
Para saber mais: 

    domingo, 22 de maio de 2011

    Ijuiense Marcos Hocevar é campeão brasileiro de tênis - em 1977

    Reprodução do Jornal da Manhã de Ijuí, dia 18/10/1977
    Reprodução de artigo do jornalista Ademar C. Bindé publicado sobre Marcos Hocevar no jornal "O Repórter" de Ijuí, no dia 06/11/2008.

    Marcos Hocevar na Wikipédia

    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    Marcos Rudolfo Hocevar (Ijuí, 25 de setembro de 1955) é um ex-tenista brasileiro.

    Biografia


    Foi número um do Brasil e trinta do mundo em 1983. Disputou oito confrontos pela Copa Davis. É irmão do ex-tenista Alexandre Hocevar e tio do tenista Ricardo Hocevar.

    Hoje é técnico do IGT, Instituto Gaúcho de Tênis, e joga torneios de veteranos (masters).

    No Ranking da ATP, sua melhor posição em simples foi 30° do mundo e 86° em duplas. As vitórias mais expressivas ocorreram sobre Henri Leconte, Vitas Gerulaitis, Andrés Gomez e Miroslav Mecir.

    Retrospecto


    Simples:

    • Campeão Brasileiro, 1977;
    • Vice-campeão em São Paulo, 1982; Kitzbuhel, Áustria.
    • Semi-finais: 2 vezes en Gstaad, Suíça, e uma nos ATPs de Barcelona, Viena, Quito e Paris;
    • Chegou 3 vezes em quartas-de-finais nos Grand Slans de Roland Garros, Wimbledon e do Aberto da Austrália.

    Duplas:

    • Campeão de Duplas com João Soares, Aberto de Buenos Aires, em 1981;
    • Quadrifinalista de Wimbledon com João Soares.
    Vídeo

    Vídeo de um jogo de Marcos Hocevar no dia 21 e 22 de novembro de 2010, em Porto Alegre: http://wn.com/Marcos_Hocevar

    quarta-feira, 18 de maio de 2011

    Uma homenagem escrita em 1940 para a cidade de Ijuí

    Fonte: Álbum Comemorativo do Cinqüentenário da Colonização de Ijuí - 1940. Publicamos essa foto apenas para ilustrar a mensagem de homenagem à cidade de Ijuí publicada no mesmo Álbum.
    Fonte: Álbum Comemorativo do Cinqüentenário da Colonização de Ijuí - 1940. 

    terça-feira, 10 de maio de 2011

    Dificuldades da colonização da cidade de Ijuí - nas primeiras décadas

    Artigo de Júlia Daiana Führ na Coluna do Museu Antropológico Diretor Pestana - MADP,  publicada no Jornal da Manhã de Ijuí, dia 24/07/2010.

    domingo, 8 de maio de 2011

    Relatório da Administração Municipal de Ijuí - ano de 1927. Intendente Municipal (Prefeito) o Ten. Cel. Alfredo Steglich - Parte I

    Iniciamos hoje a reprodução de parte do Relatório Administrativo da Prefeitura Municipal de Ijuí publicado no ano de 1927 pelo então Intendente Tenente Coronel Alfredo Steglich, eleito em 1925 no lugar do Cel. Antônio Soares de Barros - o Cel. Dico.
       Para não tornar "maçante" dividimos o ano de 1927 em seis partes. A segunda parte está publicada no dia 08/07/2012: http://ijuisuahistoriaesuagente.blogspot.com.br/2012/07/relatorio-da-administracao-municipal-de.html
      
    Destaques na administração municipal de Ijuí - no ano de 1927:
    • Intrução pública em Ijuí;
    • Serviços de mão de obra e melhoramentos no município;
    • Produção e distribuição de energia elétrica em franco crescimento;
    • Ampliação do serviço de abastecimento de água potável aos moradores da cidade - abertura de poços de artesiano na Praça da República;
    • Cobrança e sonegação de impostos municipais por parte de criadores de gado no município;
    • Crescimento na circulação de automóveis em Ijuí;
    • Resultado das eleições para presidente (Governador) do Estado do Rio Grande do Sul, em 1927, na cidade de Ijuí. Getúlio Vargas tem ampla votação entre os moradores.

    Este era o primeiro prédio próprio da então Sociedade Escolar Alemã – hoje Colégio Evangélico Augusto Pestana – CEAP, de Ijuí. Ele foi construído em 1914, no mesmo lugar onde hoje está situado a escola, ou seja, na esquina das ruas Floriano Peixoto com José Bonifácio, no espaço de três lotes urbanos doados pelo Diretor da Colônia, dr. engenheiro Augusto Pestana. A construção do prédio de madeira com três salas, separadas por paredes de alvenaria, custou então 4 mil Cruzeiros, e serviu até o ano de 1931.
    Naquele tempo muitos alunos vinham da colônia que, então, estava mais próxima do centro urbano. Montados em seu cavalo, entregavam leite na então Vila de Ijuhy para depois virem assistir as aulas. Assim se viam sempre alguns cavalos atados no pátio da escola.
     Fonte: Livreto publicado no dia 09/11/1952, “Breve histórico do Ginásio Evangélico Augusto Pestana”, quando da inauguração de seu novo prédio.
     
    Produção e distribuição de energia elétrica, no ano de 1927, na cidade de Ijuí, foi de franco desenvolvimento e crescimento. Acima uma foto antiga da Usina Velha. Disponível no site do DEMEI: http://www.demei.com.br/demeigaleria.php

    Em 1927 o crescimento na circulação de automóveis em Ijuí, aumentava a cada dia, segundo o Relatório. Acima a foto do primeiro automóvel que circulou em Ijuí, no ano de 1912. Era de propriedade do empresário Max Franke, e dirigido por Francisco Sabo. Esta foto faz parte da Coleção Ijuí do Museu Antropológico Diretor Pestana - MADP, publicada o livro "História Visual da Formação de Ijuí", organizado por MARQUES, Mário Osório; GRZYBOWSKI, Lourdes Carvalho.  Livraria UNIJUÍ Editora, p. 104.

    Foto da Praça da República de Ijuí, após remodelação feita em 1940. Nela podemos ver o prédio onde ficava a sala de máquinas dos poços artesianos que abasteciam a cidade de água potável.

    Na foto uma granja leiteira existente em Ijuí, em 1926, na linha Base (rua 13 de maio). Segudo o Relatório do Cel. Alfredo Steglich havia uma grande produção de gado de carne e de produção de leite no município, (fora a criação de outros animais). Mas, por outro lado, havia também uma grande sonegação de impostos por parte de alguns pecuaristas, para os quais a Prefeitura estaria dando uma atenção especial na fiscalização e cobrança dos devidos impostos. Esta foto faz parte da Coleção Ijuí do Museu Antropológico Diretor Pestana - MADP, publicada o livro "História Visual da Formação de Ijuí", organizado por MARQUES, Mário Osório; GRZYBOWSKI, Lourdes Carvalho.  Livraria UNIJUÍ Editora, p. 48.

    Comemorações pela eleição de Getúlio Vargas, nas eleições de 1927, para Presidente (Governador) do estado do Rio Grande do Sul. Fonte da foto: Originalmente publicada no jornal Correio do Povo em dezembro de 1927. Atualmente disponível no blog "Urbanas Cidades": http://urbanascidadespoa.blogspot.com/2010/06/manchetes-de-jornal.html

    Saudação e enaltação do político e ex-prefeito Antônio Setembrino Lopes ao desenvolvimento e crescimento de Ijuí, em 1940

    O político Antônio Setembrino Lopes, ocupou vários cargos na administração de Ijuí, e em 1945 a 1947 foi Prefeito de Ijuí nomeado, durante dois mandatos.

    Fonte: Reprodução de página do Álbum Comemorativo ao Cinqüentenário da Colonização de Ijuí, publicado em 1940.

    sexta-feira, 6 de maio de 2011

    Engenheiro agrônomo Ruben Ilgenfritz da Silva o “Homem de Marketing” do RS, em 1975

    Ruben Ilgenfritz da Silva foi o terceiro presidente da Cotrijuí onde ocupou o cargo por mais de 15 anos, foi secretário geral da Agricultura e presidente do INCRA.
            O engenheiro agrônomo Ruben Ilgenfritz da Silva, no ano de 1975, quando presidente da Cotrijuí, foi eleito o “Homem de Marketing” do Rio Grande do Sul, conferido pela Associação dos Dirigentes de Vendas do Brasil, pela sua contribuição ao progresso da comercialização do setor primário no Brasil.

    Fonte: Jornal da Manhã, 1º/05/1975. Especial JM 20 anos.

    quarta-feira, 4 de maio de 2011

    A presença do Movimento Comunitário de Base em Ijuí - nas década de 60 e 70. A organização cooperativa foi uma das bandeiras de mobilização do MCBI, especialmente, junto à população da agricultura familiar. Textos de Argemiro J. Brum e Walter Frantz

    Reprodução de artigo publicado no jornal Correio Serrano, 05/11/1967.
                   

             Artigo especial apresentado pelo professor da Universidade de Ijuí  - UNIJUÍ, dr. Walter Frantz (w.frantz@uol.com.br)
    no V Encontro de Pesquisadores de Cooperativismo realizado em Ribeirão Preto, SP, nos dias 6 a 8 de agosto de 2008. Texto disponível em: http://www.fundace.org.br/cooperativismo/arquivos_pesquisa_ica_la_2008/017-frantz.pdf

    Resumo

    O texto faz parte de um projeto de releitura da história do MCBI – Movimento Comunitário de Base de Ijuí (MCBI), Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. A organização cooperativa foi uma das bandeiras de mobilização do MCBI, especialmente, junto à população da agricultura familiar. O MCBI representa uma significativa experiência histórica, voltada à organização do quadro social e à educação para a cooperação. O objetivo é o de trazer ao debate crítico atual essa experiência e, assim, contribuir com a reflexão sobre a organização do quadro social em cooperativas e sobre o sentido e o uso da educação para a cooperação. A presente abordagem será feita a partir de dados bibliográficos.
    No entanto, o texto também revela a percepção e interpretação dos fatos, a partir da participação direta e pessoal do autor. O estudo ainda está em andamento e se orienta pela debate teórico sobre movimentos sociais e cooperativismo.

    Palavras-chave: Movimento social, movimento cooperativo, educação para a cooperação.

    Série: Principais ruas de Ijuí - Um panorama visual e arquitetônico!

    Rua 7 de Setembro:

          A rua 7 de Setembro inicia na Avenida 21 de Abril (continuidade da rua Henrique Kopf). Após 12 quadras na área central da cidade de Ijuí, ingressa no bairro Storch, onde termina ba rua Cassiano Ricardo. Totalizam-se vinte quadras, sentido Sul/Norte.

    UMA DAS PRIMEIRAS RUAS A SEREM ABERTAS NA COLÔNIA DE IJUHY

          Foi uma das primeiras ruas a serem criadas/abertas quando da instalação da Colônia de Ijuhy, em 1890. Entre o trecho da rua do Comércio e Floriano Peixoto foi construído alguns barracões (grandes galpões) de madeira onde se alojavam os primeiros imigrantes récem-chegados vindo das Colônias Velhas (primeiras colônias de imigrantes criadas no RS).
    Foto do barracão e dos primeiros colonizadores de Ijuhy - Umas das fotos mais antigas da cidade de Ijuí. Essa construção estava localizada a rua 7 de Setembro, entre a rua do Comércio e Floriano Peixoto.
    Galeria de fotos da rua 7 de Setembro:

    segunda-feira, 2 de maio de 2011

    Associação dos Apicultores de Ijuí - primeiros anos de atividades - a partir de 1982

     

    Observação: Reprodução parcial da revista.