domingo, 30 de outubro de 2011

Edição Especial do jornal Correio Serrano sobre a Criação da Comarca de Ijuí e da elevação a categoria de Cidade - ano de 1934 - parte final

Reprodução da edição especial do jornal Correio Serrano, do dia 09 de dezembro de 1934,  alusiva a criação da Comarca e da elevação de Ijuí a categoria de cidade.

sábado, 29 de outubro de 2011

Edição Especial do jornal Correio Serrano sobre a Criação da Comarca de Ijuí e da elevação a categoria de Cidade - ano de 1934 - parte III

Reprodução da edição especial do jornal Correio Serrano, do dia 09 de dezembro de 1934,  alusiva a criação da Comarca e da elevação de Ijuí a categoria de cidade.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Granja de Giovani Stragliotto em Rosário, interior de Augusto Pestana, em 1965.

Fonte: "Álbum Comemorativo" dos 75 anos de Colonização de Ijuí, publicado em 1965, pela Editora Revista Brasileira (que tinha por objetivo mostrar os municípios do Brasil). Infelizmente na edição publicada não consta a sede da Editora, apenas cita o nome de seu editor: H. P. Müller. (Oportunamente iremos publicar de forma integral toda publicação/Álbum dos 75 anos na seção de "Documentos e séries completas" de nosso Blog).

 Destaques comerciais e industriais  de Ijuí publicados no Álbum dos 75 anos da Colonização de Ijuí, em 1965:
 

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Morreu o radialista Luiz Mendes - que teve suas primeiras experiências radiofônicas em Ijuí - aos 87 anos, no Rio de Janeiro



Esposa Dayse Lúcide e Luiz Mendes

O jornalista e historiador Ademar Campos Bindé nos presenteou com uma excelente biografia e apresentação da vida e obra do radialista Luis Mendes que teve grande atuação nos anos 30 na cidade de Ijuí. Artigo publicado na coluna "História" do jornal "O Repórter", do dia 04/06/2008.

Uma pequena biografia de Luiz Mendes:

Luiz Mendes chama-se Luiz Pinêda Mendes. Nascido em 09 de junho de 1924, em Palmeira das Missões, interior do Rio Grande do Sul, é filho de Joaquim Mendes e Maria Del Carmen Pinêda, que é argentina. Luiz nasceu e se criou nos “pampas”. Infância livre de gaúcho. Descalço, em meio ao gado e aos cavalos. Muita liberdade e muito horizonte. Um pouco preguiçoso para estudar, leu, porém, todos os livros que pode ler. Começou a trabalhar numa estação de auto-falantes, em sua própria cidade. (Na verdade na cidade de Ijuúi, RS). Vendo aquilo que ali se montava, ainda garoto, apresentou-se com “cara e coragem”. 
Era aquela coisa de “fulano dedica a fulano”, “a esposa dedica a seu amado esposo”. Ganhou um dinheirinho com aquilo e escolheu sua profissão. Gostava também de futebol, e jogava no time juvenil. Depois foi para a capital, Porto Alegre, e fez teste na Rádio Farroupilha. Passou, e foi contratado como locutor. Havia comprado um radinho, ainda no interior, e foi nesse primeiro rádio que ouviu a voz de Dayse Lúcide, menina, numa peça de rádio-teatro. Encantou-se com aquele trabalho, mas nunca poderia imaginar que seria ela sua esposa, para toda a vida. Foi, logo depois, para o Rio de Janeiro. Segundo ele, sempre gostou de “ganhar horizontes”. Havia já passado para a locução esportiva. Era a Rádio Globo, para onde ingressou em 1944. Estava com 19 anos e disposto a conquistar o Rio de janeiro. Heron Domingues, grande locutor da época, o apoiou e foram morar juntos, numa pensão chamada “Renascença”. Ficaram muito amigos. Como havia feito sucesso como locutor esportivo, na Rádio Farroupilha, embora tenha sido contratado para a locução comercial, logo passou aos esportes, pois Galiano Neto, o titular, faltou a uma transmissão. Alvoroço, confusão, Luiz Mendes logo disse: “Eu posso transmitir isso”. Afinal, era a bola redonda, o gramado parelhinho, as regras as mesmas..... No dia seguinte foi chamado pelo Presidente das Organizações Globo, Roberto Marinho, e foi conversar com ele na redação de O Globo. Passou a locutor esportivo da Rádio Globo. Mas começou fazendo “ginástica”, pela manhã, e trabalhos menores. Mas Galiano saiu e Luiz Mendes passou para o seu lugar. E ganhou o seu espaço no coração dos ouvintes. Houve, em 1946, um concurso com o público carioca, para saber quem era o melhor locutor esportivo da cidade. Para espanto de todos, o gaúcho ganhou, concorrendo com os grandes nomes de então. Foi para a TV Rio e, por 15 anos, não fez rádio. Deu-se bem também na televisão. Com um estilo em que ressalta qualidades e não descreve o óbvio, foi agradando. Fez, por muito tempo o programa “TV-Rinque”, e “A Grande Revista Esportiva Facit”. Participou da primeira transmissão à cores, no Rio de Janeiro. Foi no dia 19 de fevereiro de 1972. Com seu trabalho sempre realçado, participou de 13 Copas do Mundo, das 16 que existiram. Não fez as três primeiras, por ser criança. Mas de quando começou, foi convidado sempre, até 1998, na França. Passou a comentarista na Rádio Globo. Ganhou muitos troféus. Passou para a TV Globo. Quando a Rádio Globo fez 70 anos, ganhou uma placa comemorativa, das mãos do próprio Roberto Marinho. Isso muito o emocionou. E assim foi a vida do gaúcho Luiz Mendes. Casado há 51 anos com a radioatriz Dayse Lúcide, tem um filho, que lhe deu netos e agora uma bisneta. Fez amigos pela vida afora. Não teme a Deus, mas o respeita, acima de tudo. Sua vida foi de vitórias, de ponta a ponta. E de trabalho e de alegrias. E diz, completando o que pensa de suas conquistas: “É que segui sempre o caminho do bem”. Esse é o gaúcho Luiz Mendes. Um brasileiro feliz.


 Veja mais - repercussão nacional da morte de Luiz Mendes:

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Inauguração da agência da Caixa Econômica Estadual do RS em Ijuí, no dia 21/07/1965.

Segundo a Wikipédia a Caixa Econômica Estadual do Rio Grande do Sul foi uma autarquia financeira ligada ao governo do Estado do Rio Grande do Sul criada durante o Governo Brizola no Rio Grande do Sul e depois incorporada ao Banrisul em 1998.
Neste prédio, localizado na rua Ernesto Alves, por muitos anos foi a sede própria da Caixa Econômica Estadual do RS. Atualmente ali funciona a Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social - FGTAS e o SINE. 
Fonte: A página histórica faz parte do "Álbum Comemorativo" dos 75 anos de Colonização de Ijuí, publicado em 1965, pela Editora Revista Brasileira (que tinha por objetivo mostrar os municípios do Brasil). Infelizmente na edição publicada não consta a sede da Editora, apenas cita o nome de seu editor: H. P. Müller. (Oportunamente iremos publicar de forma integral toda publicação/Álbum dos 75 anos na seção de "Documentos e séries completas" de nosso Blog). A foto atual é de arquivo pessoal.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Distrito do Chorão, município de Ijuí, no ano de 2011 e em 1965

Vista área do Distrito do Chorão em 2011. Foto feita pela empresa de Aero Filmagem Chico. Disponível em: http://www.aerofilmagenschico.com.br/mercado-chorao/
Uma vista área a partir do Google Earth do Distrito do Chorão, que fica às margens do rio Ijuí.
 Destaques comerciais e industriais  de Ijuí no ano de 1965:

Fonte: "Álbum Comemorativo" dos 75 anos de Colonização de Ijuí, publicado em 1965, pela Editora Revista Brasileira (que tinha por objetivo mostrar os municípios do Brasil). Infelizmente na edição publicada não consta a sede da Editora, apenas cita o nome de seu editor: H. P. Müller. (Oportunamente iremos publicar de forma integral toda publicação/Álbum dos 75 anos na seção de "Documentos e séries completas" de nosso Blog).

domingo, 23 de outubro de 2011

PIB de Ijuí de 2003-2008, de acordo com o Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas - IBGE. Ainda mais, dezenas de outros levantamentos e pesquisas do IBGE - Parte Final

Vista da cidade de Ijuí a partir do centro para o sudoeste, em direção a Cotrijuí
PIB de Ijuí no ano de 2008:


 PIB de Ijuí no ano de 2007:

PIB de Ijuí no ano de 2006:


PIB de Ijuí no ano de 2005:


PIB de Ijuí no ano de 2004:


PIB de Ijuí no ano de 2003:



Outras pesquisas realizadas pelo IBGE na cidade de Ijuí. Para acessar seu conteúdo na íntegra basta clicar no título:


Fonte dos publicados acima: IBGE 

Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1

sábado, 22 de outubro de 2011

Síntese histórica da cidade de Ijuí e os dados do Censo Demográfico do IBGE, ano base de 2010 - Parte II

Vila de Ijuhy em 1912
 Síntese histórica da cidade de Ijuí
publicada no site do IBGE

    Fundada em 19 de outubro de 1890, a Colônia de Ijuhy recebeu imigrantes de várias nacionalidades.
   Administrada inicialmente por Augusto Pestana, Ijuí teve grande impulso no seu desenvolvimento quando, a partir de 1899, foi incentivado o assentamento de colonos com conhecimento em agricultura, principalmente das colônias mais antigas do Rio Grande do Sul.
   Ijuí é conhecido como "Terra das culturas diversificadas" por reunir variado grupo étnico: africanos, índios, portugueses, franceses, italianos, alemães, poloneses, austríacos, letos, holandeses, suecos, espanhóis, japoneses, russos, árabes, lituanos, ucranianos, entre outros. 
     Ijuhy significa na língua guarani "Rio das Águas Claras" ou "Rio das Águas Divinas".
     Gentílico: ijuiense
     Formação Administrativa:

     Em 19-10-1890 é criada a Colônia de Ijuhy.
     Elevada à categoria de município em 21-01-1912, instalado em 11-02-1912.
    Por Ato Municipal nº 1, de 12-02-1912, são criados os distritos de General Firmino de Paula e Doutor Pestana. Por Ato Municipal nº 411, de 11-02-1925, é criado o Distrito de Doutor Aragão Bozano. Pelo Decreto Estadual nº 7199, de 31-03-1938, o Distrito de General Firmino de Paula passou a denominar-se simplesmente General Firmino e permanece no Município de Ijuí.
De Distrito para cidade de Dr. Bozano


Pelo mesmo Decreto, o Distrito de Doutor Aragão Bozano passou a denominar-se Doutor Bozano e figurou como zona do Distrito de Ijuí, pertencente ao Município de Ijuí.



     Pelo decreto Estadual nº 7842, de 30-06-1939, baixado em virtude de autorização contida no Decreto-Lei Federal nº 3107, de 31-05-1939, o Distrito de General Firmino passou a denominar-se Ajuricaba. 
     Pela Lei Municipal nº 374, de 05-01-1956, foi restabelecido o Distrito de Doutor Bozano e criado os distritos de Coronel Barros e Ramada.
Cidade de Coronel Barros, antigo Distrito de Ijuí
      Pela Lei Municipal nº 419, de 22-12-1956, foi criado o Distrito de Barro Preto.
      Pela Lei Municipal nº 840, de 30-04-1964, foi criado o Distrito de Mauá.
      Pela Lei Municipal nº 849, de 21-07-1964, foi criado o Distrito de Chorão.
      Pela Lei Municipal nº 850, de 21-01-1964, foi criado o Distrito de Salto.
      Pela Lei Municipal nº 865, de 04-11-1964, foi criado o Distrito de Linha 8 Leste.
    Pelo Decreto Executivo nº 19, de 02-01-1965, foi alterada a denominação do Distrito Linha 8 Leste para Distrito Floresta.
Augusto Pestana
  Pela Lei Estadual nº 5030, de 17-09-1965, foi desmembrado do Município de Ijuí o Distrito de Doutor Pestana, para formar o novo município com a denominação de Augusto Pestana.
     Pela Lei Estadual nº 5085, de 08-11-1965, foi desmembrado do Município de Ijuí os distritos de Ajuricaba, Ramada e Barro Preto, para formar o novo município com a denominação de Ajuricaba.
Cidade de Ajuricaba, ex-distrito de Ijuí
     Pela Lei Municipal nº 1.979, de 02-03-1984, foi criado o Distrito de Santo Antônio.
     Pela Lei Municipal nº 2.044, de 27-09-1984, foi criado o distrito de Alto da União.
Entrada do Distrito de Alto da União
     Pela Lei Municipal nº 2.149, de 19-06-1986, foi criado o Distrito de Santa Lúcia.
     Pela Lei Municipal nº 2.150, de 20-06-1986, foi criado o Distrito de Santana.
     Pela Lei Municipal nº 2.160, de 30-10-1986, foi criado o Distrito de Barreiro.
     Pela Lei Municipal nº 2.194, de 16-06-1987, foi criado o Distrito de Itaí.
Principal entrada do Distrito do Itaí

Pela Lei Estadual nº 9.575, de 20-03-1992, foi desmembrado do Município de Ijuí o Distrito de Coronel Barros, para formar o novo município de mesmo nome.
   Pela Lei Estadual nº 10742, de 16-04-1996, foi desmembrado do Município de Ijuí o Distrito de Doutor Bozano, para formar o novo município com a denominação de Bozano.  
    Os distritos de Salto e Santa Lúcia são anexados ao município de Bozano.
    Atualmente o município de Ijuí é constituído atualmente de 9 distritos: Ijuí, Mauá, Chorão, Floresta, Santo Antônio, Alto da União, Barreiro, Santana e Itaí.

     Fonte: IBGE
     Autor do Histórico: Elis Regina Manhabosco Allegranzzi

Vista da cidade Ijuí a partir do bairro São José
Sinopse do censo Demográfico de 2010 - cidade de Ijuí - RS:























































Fonte dos publicados acima: IBGE
Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1