sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Ciclista ijuiense está conhecendo a América do Sul de bicicleta. Já percorreu mais de 88 mil KM, conheceu 1.478 cidades de 27 Estados brasileiros, e já visitou 8 países sulamericanos

Ciclista ijuiense Marcus Vinícius viajando de bicicleta pela América do Sul
             Texto e fotos de Eduardo Lena, do Jornal "Nova Fronteira", Barreiras, Bahia.

           Após quatro anos, três meses, nove dias e 45.650 KM rodados a mais, passou novamente por Barreiras no último dia 09, o ciclista gaucho de Ijui, Marcus Vinícius, de 55 anos. A primeira passagem pelo Oeste baiano aconteceu no dia 28 de setembro de 2007.
 Conhecido por Flypper, Marcus Vinícius está percorrendo o Brasil de ponta a ponta em cima de uma bike. O ciclista saiu de Bombinha, litoral de Santa Catarina, onde deixou família (mulher e três filhos), no dia 20 de outubro de 2004 e até a data de hoje já percorreu no total 88.694 KM, conheceu 1.478 cidades de 27 estados brasileiros, além de pedalar por oito países sulamericanos.
        Segundo ele, a meta inicial era cumprir um sonho de criança, que consistia em pedalar do Iapoque ao Chuí e voltar, mas conforme as metas foram eram cumpridas, os objetivos acabaram sendo mudados. Agora quero chegar aos 100 mil KM rodados”, disse Flypper, já pensando qual será o próximo desafio. “Durante minhas andanças, tenho buscado incansavelmente novos desafios e o que tem me despertado mais e que me deixado ansioso é a vontade de conhecer todo o continente africano de bike.
        Perguntado se ele não tinha medo desse novo desafio, uma vez que cruzará por regiões onde vivem animais selvagens e países que enfrentam guerras civis, Flypper comentou que tem a receita certa. “O negócio é não se envolver e nem se meter na vida dos outros. Durante minha viagem pelo Brasil, passei por bocas muito brabas nas grandes capitais e na selva amazônica. Vi onça de perto, interagi com índios, peguei quatro Malárias e duas Dengues, quando percorria a selva em direção ao Iapoque/AP, dormi próximo a bocas de fumo em grandes cidades. O negócio é ficar na sua”, comentou o ciclista.
Sobre os principais perigos encontrados na estrada Marcus Vinícius desabafa e faz um alerta. "O grande perigo nas estradas são os ônibus piratas. Só na última semana passei por quatro ônibus, três tombados e um quebrado. Em todos, os passageiros estavam largados a própria sorte, sem nenhuma assistência, passando sede e fome".
        O ciclista afirma que no final de toda essa aventura, que ele entende estar próxima ao fim, uma vez que a idade está chegando, pretende escrever um livro, que já tem até título: ‘Pelos Caminhos do Brasil’. Organizado, cada passo percorrido, ou melhor, cada pedalada dada está registrada num amplo diário de viagem que contém carimbos de prefeituras e da Polícia Rodoviária Federal por onde passa.
         Mas quem pensa que após escrever o livro, Marcus Vinícius vai se acomodar e ter um endereço fixo está enganado. “Com a venda dos livros pretendo adquirir um ultraleve que pouse tanto em terra como na água, e com a ajuda de amigos e patrocínios de empresas, pretendo viajar todo o Brasil e conhecer regiões mais remotas que não tive a oportunidade de conhecer de bicicleta”, concluiu Flypper.

Reportagem publicada originalmente no jornal "Nova Fronteira",  da cidade de Barreiras, Bahia, dia 11/01/2012. Disponível em: http://jornalnovafronteira.com.br/index2.php?p=MConteudo&i=5184
Postar um comentário