quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Tiro de Guerra n- 337 de Ijuí


PARA SABER MAIS...

“O Tiro de Guerra no 337, foi fundado a 5 de março de 1917, fornecendo anualmente bons contingentes de reservistas do Exército Nacional. Contando sempre em sua diretoria de elementos esforçados, sua sede própria, sita a Rua Álvaro Chaves. Possui além do quartel uma linha de tiro para exercícios.
A atual diretoria do Tiro de Guerra 337 está constituída da seguinte forma:
Presidente: sr. Fermino Lucchese;
Vice-presidente: sr. Álvaro C. Nicofé;
Secretário: sr. João Gonçalves Leite;
Tesoureiro: sr. João Wichrowski”.

Fonte: Reprodução de texto publicado na Revista  do Cinqüentenário da Colonização de Ijuí, de 1940

O edifício do Tiro de Guerra n- 337, em 1943, serviu também como sede do Comando do II/4º RADC em sua fase de instalação em Ijuí. Foto publicada no jornal Correio Serrano do dia 05/11/1967. Sobre a instalação e atividades do 27- GAC em Ijuí ver reportagem em nosso blog: http://ijuisuahistoriaesuagente.blogspot.com/2011/02/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html
UM POUCO DA HISTÓRIA DOS TIROS DE GUERRA NO BRASIL

O Tiro de Guerra conhecido com TG é uma instituição militar do Exército Brasileiro encarregada de formar reservistas para o exército. OS TGs são estruturados de modo que o convocado possa conciliar a instrução militar com o trabalho ou estudo.
A organização de um TG ocorre em acordo firmado com as prefeituras locais e o Comando da Região Militar. O exército fornece os instrutores, fardamento e equipamentos, enquanto a administração municipal disponibiliza as instalações.
Existem hoje mais de 200 TG's distribuídos por quase todo o território brasileiro.

Origem

A origem dos tiros de guerra (TG) remonta ao ano de 1902 com o nome de linhas de tiro, quando se fundou em Rio Grande (RS) uma sociedade de tiro ao alvo com finalidades militares – esta, a partir de 1916, no impulso da pregação de Olavo Bilac em prol do serviço militar obrigatório, transformou-se, com o apoio do poder municipal, nesse tipo de organização militar tão essencial à formação de reservistas brasileiros.
Assim sendo foram criadas várias Linhas de tiro, estrategicamente localizadas em cidades maiores de cada região, que davam maior proteção aos cidadãos.

Formação do atirador

O objetivo dos TG's é formar reservistas de 2ª categoria aptos ao desempenho de tarefas no contexto da Defesa Territorial e Defesa Civil. A formação do atirador é realizada no período de 40 semanas, com uma carga-horária semanal de 12 horas, totalizando 480 horas de instrução. Há um acréscimo de 36 horas destinadas às instruções específicas do Curso de Formação de Cabos, e um terço desse tempo é direcionado para matérias relacionadas com ações de saúde, ação comunitária, defesa civil e meio ambiente.
Até 1969, a formação do atirador era realizada no período de 80 semanas, portanto a partir de 1970, essa formação foi dividida em 1° e 2° semestres.
Por curiosidade a etimologia da palavra vem do latim tiro, termo usado para descrever novato, jovem soldado e recruta.

Missão

Extraído do R 138 - Regulamento dos Tiros-de-Guerra:
Os Tiros de Guerra, são uma experiência brasileira vigente desde 7 de setembro de 1902, quando Antônio Carlos Lopes fundou, na cidade de Rio Grande-RS, uma sociedade de tiro ao alvo com finalidades militares e, depois de 1916, foram impulsionados pela pregação patriótica de Olavo Bilac - Patrono do Serviço Militar, sendo conseqüência, sobretudo, de um esforço comunitário municipal.
Os Tiros de Guerra (TG), são Órgãos de Formação da Reserva (OFR), que possibilitam a prestação do Serviço Militar Inicial, no município sede do TG, dos convocados não incorporados em Organização Militar da Ativa (OMA), de molde a atender à instrução, conciliando o trabalho e o estudo do cidadão.
Além de propiciar a prestação do serviço militar inicial, os TG devem:
I - contribuir para estimular a interiorização e evitar o êxodo rural
II - constituir-se em pólos difusores do civismo, da cidadania e do patriotismo
III - colaborar em atividades complementares, mediante convênio com órgãos federais, estaduais e municipais, no funcionamento de ensino profissionalizante em suas dependências e na utilização das mesmas em práticas cívicas, esportivas e sociais, em benefício da comunidade local e
IV - mediante autorização dos Comandantes Militares de Área:
a) atuar na Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e na Defesa Territorial
b) participar na Defesa Civil e
c) colaborar em projetos de Ação Comunitária.

Objetivos dos Tiros de Guerra

A instrução dos TG deve ter por objetivo a preparação de:
I - munícipes conhecedores dos problemas locais, interessados nas aspirações e realizações de sua comunidade, e cidadãos integrados à realidade nacional.
II - reservistas de 2ª Categoria (Combatente Básico de Força Territorial), aptos a desempenharem tarefas limitadas, na paz e na guerra, nos quadros de Defesa Territorial, GLO, Defesa Civil e Ação Comunitária.
III - líderes democratas, atentos aos ideais da nacionalidade brasileira e à defesa do Estado Democrático de Direito.

Fonte: Reprodução de texto publicado Wikipédia: Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Tiro_de_Guerra
Postar um comentário