terça-feira, 15 de novembro de 2011

Esportista e ex-jogador Luiz Garbinato coleciona vários "tesouros" do futebol de Ijuí, como a foto do Gaúcho bi-campeão em 1951, e do São Luiz como bi-vice campeão no mesmo ano.


O blog de Maurício Brum (repórter esportivo e locutor) “Futebesteirol” (http://futebesteirol.blogspot.com/2009/06/caixa-magica-do-seu-luiz.html), postagem do dia 20 de junho de 2009, traz informações e grandes revelações históricas muito importante na área esportiva de nossa cidade. O mesmo nos apresenta o esportista e ex-jogador Luiz Garbinato, que coleciona várias fotos antigas (e outros “tesouros) de jogos do Grêmio Esportivo Gaúcho e do São Luiz. Reproduzimos aqui parte da reportagem publicada no Blog, onde fala sobre sua paixão pelo futebol ijuiense. A reportagem publicada continua, ainda, porém fala do futebol de Três Passos, onde Luiz Garbinato morou também por muitos anos, e tem saudosas memórias e muito material histórico. Segue o texto referente a nossa cidade:

“IJUHY – Há um tesouro na rua Bento Gonçalves, em Ijuí. Nenhum mapa da cidade indica o local com um X e nem as preciosidades estão guardadas dentro de um baú enfurnado sob palmos e palmos de areia. É uma caixa de papelão. Umas fotos em preto e branco. Uns pedaços de algodão e de metal, que não é ouro, mas uma liga supostamente menos nobre. É uma vida. Há um tesouro na rua Bento Gonçalves, em Ijuí, e seu guardião quer exibi-lo ao mundo.
Luiz Garbinato segura na mão parte de seus "tesouros" esportivos

Luiz Garbinato, que já foi Garbinatto, mas subtraiu um tê dos papéis por conta das exigências para obter a cidadania italiana, nasceu em 1933 na Ajuricaba que o ex-gremista Carlos Eduardo devolveu ao mapa do esporte-rei. Por aquelas coisas que a razão não explica, quiçá por ter sido escolhido pelos deuses do futebol, atendeu a vocação para colecionar histórias do interior. A mais antiga foto sua nos muitos álbuns que formou mostra Garbinato com quinze anos, estudando já em Ijuí, em meio aos festejos do décimo aniversário do Esporte Clube São Luiz, em 1948. Mas há mais, há muito mais. Quadros ijuienses perfilados, listagens de partidas de cinco décadas atrás, lembranças de eventos, outras equipes da Região Noroeste do Estado em campo, flagrantes de entregas de faixas, momentos de partidas em andamento captados à perfeição por precárias câmeras interioranas da década de 1950, flâmulas, Copas e balões de couro.

Flâmula do São Luiz - 1961
O banal dos outros convertia-se, ao seu olhar, em material que não podia faltar para os seus registros. Hoje, viraram raridades. “Se soubessem que eu tenho isso aqui, iam enlouquecer”, diz. Garbinato foi zagueiro. Defendeu o São Luiz num período em que o clube vestia um fardamento listrado verticalmente em vermelho e branco, hoje completamente esquecido, mas também foi a campo com as cores do outro grande clube de Ijuí, o Grêmio Esportivo Gaúcho. Jogou em tempo pródigo para as disputas citadinas, vivendo os Campeonatos Ijuienses disputados em triangulares, na época em que o desconhecido e efêmero São José da cidade exercia o papel de lanterninha. Amador no esporte, formou-se em contabilidade, guardou a pelota da sua última partida na Colméia do Trabalho e bandeou-se para trabalhar no Frigorífico de Três Passos em 1954...”.
Postar um comentário