sexta-feira, 10 de abril de 2015

Rádio Repórter de Ijuí completa hoje, 10 de abril 65 anos de fundação. Instalada em 1950 como Rádio Sulina.... Vendida em 1964 já com o nome de "Rádio Repórter" para o empresário, radialista e ex-prefeito de Ijuí Wilson Mânica. Hoje formando o Grupo Repórter de Comunicação!

Sede do Grupo Repórter - Rádios Repórter AM e FM, na Av. Davi Martins
Casal Wilson e Salete Mânica
Nota publicada na revista "Guia Publicitário e Histórico de Ijuí e Panambi - 1955/56", organizado por Fraiem Cotliarenco Editora, de Porto Alegre, RS.
Reprodução de mensagem comercial no jornal Correio Serrano no dia 05/11/1967.
A seguir Caderno Especial sobre o "Grupo Repórter" publicado no Jornal "O Repórter" do dia 09/04/2008.
 
 
Página da Revista Comemorativa ao Cinqüentenário de criação do município de Ijuí - 1912-1962. Nela a presença da Rádio Repórter de Ijuí temo seu destaque.
Registro histórico feito pelo jornalista Ademar C. Bindé, em sua tradicional coluna no Jornal "O Repórter". Infelizmente não temos a data da publicação.
Confira o histórico da rádio:

A história da radiodifusão teve inicio em Ijuí no ano de 1950, quando muitas pessoas, no dia 10 de abril daquele ano, se aglomeraram em frente a Praça da República para ouvir pela 1ª vez a transmissão da Rádio Repórter.
 Há 64 anos, no centro da cidade, nas acanhadas instalações do Edifício Scharnberg, hoje Maffei Tecidos, rua do Comércio, esquina com a rua 15 de Novembro, começava a funcionar “a pioneira” com 100 watts de potência e com prefixo de ZYY-5 na freqüência de 1.510 Khz., a então denominada Rádio Sulina integrante do chamado Triângulo Missioneiro de Emissoras que eram as rádios de Ijuí, Santo Ângelo e Três Passos.

Seus primeiros sócios foram:
- JORGE ATHANÁSIO JOAQUIM QUERUZ;
- HUMBERTO DE NEGRI;
- REMIRO MURARO;
- EMIDGIO ARÃO PUCCINI e
- WANDOALDO VIEIRA KOPF.
A denominação de Rádio Repórter surgiu através de concurso realizado na época, sugerido por Mari Mendes, integrante de uma família ligada ao meio radiofônico, irmã de Luiz Mendes que até então mantinha em Ijuí “A VOZ DO POSTE”, com alto falantes funcionando em um poste de aço instalado na rua Benjamin Constant, em frente a Praça da República.
A primeira equipe de locutores foi formada por Célio Osório Coimbra, Armindo Krüger, Juvêncio Mendes, Ubirajara de Quadros e Irlei Fialho.
Em 1952, a Rádio Repórter, mudava de endereço, passando as instalações para o Edifício De Negri, na esquina das ruas Benjamin Constant e Ernesto Alves. 

PROGRAMAS DE AUDITÓRIO!
Neste prédio tinha um pequeno auditório para umas 50/100 pessoas. Muitos programas de auditório foram feitos e sempre com grande participação do público ijuiense e regional. Muitas vezes o tradicional programa "Oh! de Casa!" era feito ao vivo, e no auditório, com participações do público e grupos musicais de Ijuí e região.

Em 29 de julho de 1964, o Jornal Correio Serrano, informava em manchete uma nova mudança: “VENDIDA AO SR. WILSON MAXIMINO MÂNICA A RÁDIO REPÓRTER DE IJUÍ”.
Aquele jovem que iniciou sua vida profissional trabalhando como montador de calçados na empresa Geiss S.A. e que na época era narrador esportivo da Rádio Progresso viu seu sonho de radialista realizado e tornava-se empresário do setor de radiodifusão.
Sob a direção do Sr. Wilson Mânica tendo ao seu lado a professora Salete Mânica, a Rádio Repórter deu seqüência ao pioneirismo radiofônico da cidade, passando a imprimir uma nova dinâmica na emissora.  
Pensando sempre em crescimento, o empresário-radialista adquire uma área de 5 hectares e continua com sua luta incessante de crescimento em buscar maior potência de transmissão, passando para l Kw, 5 Kw e hoje 10 KW sendo a maior potência regional.
Em 1975, muda-se para o primeiro andar do Edifício Taba, na Rua Venâncio Aires, próximo ao Corpo de Bombeiros.
Dois anos mais tarde, em 1977, em grande momento festivo e aguardado pela comunidade e com a presença de muitas autoridades, era inaugurado o complexo construído na Avenida David José Martins, onde atualmente encontra-se instalada.
Jornalista Ademar Bindé registrou em sua coluna no jornal "O Repórter", do 07/01/2009, a história da Rádio Repórter e em especial a inauguração das novas instalações na Av. Davi José Martins, com a presença do Governador José A. Amaral de Souza e do Ministro das Comunicações Euclides Quandt de Oliveira.
Eram 5 horas da tarde do dia 14 de setembro de 1977, quando a Repórter começou a transmitir dos novos estúdios. A solenidade trouxe para Ijuí o então governador do Estado José Augusto Amaral de Souza e o Ministro das Comunicações Euclides Quandt de Oliveira. Nesta data, o ministro, vendo as belas instalações e sabendo da vontade e perseverança do radialista Wilson Mânica, autorizou a implantação de uma emissora de FREQUÊNCIA MODULADA.
Iniciou-se então um novo desafio – o de montar uma rádio em FM, num momento que nem mesmo existiam no comércio receptores com faixa de FM.
Mas o espírito empreendedor do radialista falou mais forte, e em menos de dois anos entrava em operação a Rádio Repórter FM, hoje, Iguatemi FM,  a primeira emissora de FM do interior do Rio Grande do Sul, montada numa única torre de transmissões, algo inédito no Brasil para a época.
As instalações conjugadas da Rádio Repórter AM e Iguatemi FM, formam um modelo de parque radiofônico.
Seus prédios foram construídos especialmente para abrigar todos os departamentos com amplos estúdios, setor de jornalismo, publicidade, roteiristas, esportes, administração e uma discoteca com um acervo de mais de 15 mil LPs, milhares de CDs, sala de transmissores e anexos onde está um grupo gerador para manter as estações no ar quando da falta de energia e outros equipamentos, que dão suporte a uma estrutura totalmente informatizada.
A audiência de Rádio Repórter de Ijuí e da Iguatemi FM é reconhecida em todos os segmentos da comunidade regional, pois há mais de 10 anos são apontadas como as rádios mais ouvidas na região, abrangendo mais de 50 municípios e aproximadamente um milhão de ouvintes.
Wilson Mânica deixou também sua marca no ramo agropecuário, por gostar do campo. A Agropecuária Repórter, mantem-se ativa com a criação de ovinos e cultura de sementes.
O GRUPO MÂNICA como é conhecido ainda hoje sente a perda de seu propulsor maior WILSON MÂNICA, falecido havia mais de 5 anos, mas a diretora Mathilde Salete Mânica com os filhos, Enzo, Silvio, Cínara e Cibele, e mais uma equipe de abnegados funcionários,  continuam a semear o produto das sementes implantadas pelo seu grande e saudoso gestor.
Capa de uma das edições do jornal "O Repórter", de circulação regional.
Se um dia, um jornal local anunciou a implantação de uma rádio em Ijuí, hoje as Rádios Repórter AM que comemora 64 anos no dia 10 de abril, a Iguatemi FM, que no dia 25 julho completa 37 anos, também possuem o seu jornal regional:  “O REPÓRTER”.
Sede do jornal "O Repórter", situada também no mesmo terreno da Av. Davi José Martins.




Recordando... e registrando....!
Jornal Correio Serrano do dia 03/01/1970.
Jornal Correio Serrano dia 04/10/1971.
Jornal Correio Serrano do dia 23/10/1971.

Equipe Repórter nos jogos do São Luiz no 19 de Outubro!




Postar um comentário