quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Importante artigo do professor Adelar Baggio - "Resgate histórico do Movimento das Etnias de Ijuí e da EXPOIJUÍ"



Professor Adelar Francisco Baggio (foto) é o autor deste texto. O docente analisa a evolução do movimento étnico e suas perspectivas em Ijuí. Foto: Arquivo Ijuhy.com

Fonte: Este artigo foi publicado originalmente no Portal "Ijuhy.com", disponível em: http://www.ijui.com/artigos/53964-origem-evolucao-e-proximos-desafios-das-etnias-de-ijui-por-adelar-baggio.html

Origem, evolução e próximos desafios das Etnias de Ijuí

1) CENÁRIO NO FINAL DA DÉCADA DE 70

- Conflitos na comunidade de Ijuí em função das conseqüências da ditadura;
- Clima de redemocratização do país;
- Iniciativa da criação da UNIJUI;
- Desejo da população para que acontecesse algo novo no município.

2) ORIGEM DA RETOMADA E DA EXPOIJUÍ

- A realização do Iº Seminário Ijuiense de Alternativas de Investimentos em 28 e 29/4/1981 com participação de 66 empresários, foi o 1º evento promovido de forma conjunta pelas entidades estratégicas do município que estavam conflitadas
- Principal decisão: realizar uma feira-exposição em Ijuí como vitrine de todos e não só de alguns segmentos da comunidade. Foi criada uma Comissão Interinstitucional que em 23/5/81 propôs o nome de EXPOIJUI ao evento que deveria ser realizada em outubro do mesmo ano, durante o período de 11 a 19/10/81, no IMEAB, sob a coordenação do Diretor da Escola, Prof. Adair Casarin e apoio estratégico da Prefeitura, da ACI, da Fidene e da FACACEI/CeCA. Local este que se construiu posteriormente o Parque de Exposições Wanderlei Agostinho Burmann.

- Outra decisão: deveria ser realizada de 2 em 2 anos;
- Participaram como visitantes da 1ª EXPOIJUI 120.000 pessoas;
 - A EXPOIJUI de 1983 foi adiada/suspensa em função do clima econômico-político adverso no Brasil;
- Criação da Retomada: 23/07/1984 por 72 entidades. O movimento denomina-se “Ijuí na Retomada do Desenvolvimento”;
   . Coordenação geral: ACI, Prefeitura, UNIJUI e COTRIJUI. Mais adiante começaram a participar também o HCI e a Câmara de Vereadores;
   . Foram criadas 10 Comissões setoriais para estudo de questões estratégicas;
   . A Coordenação realizava reuniões em rodízio entre as entidades estratégicas, visando conhecer as entidades e criar confiança entre as mesmas;
   . Objetivo: mobilizar as instituições estratégicas de Ijuí visando definir novos rumos para o município de através da reflexão e atuação conjuntas e articuladas, com ações empreendedoras.

3) FENADI

 - A aprovação da carta consulta da UNIJUI em 02/08/1983 foi o ponto de partida, pois tínhamos a convicção de que a nova universidade deveria continuar enraizada na comunidade como foi o histórico da Fidene;
- Foram feitas em torno de 90 reuniões na região para mobilizar a comunidade em torno do processo de criação da UNIJUI, construindo clima cultural favorável e participação da população. Foram feitas campanhas de construção do campus e de ampliação da biblioteca com participação de governo, empresários, prefeituras, trabalhadores urbanos, agricultores, etc.... Como exemplo, podemos citar o fato dos trabalhadores de vários sindicatos descontavam mensalmente um percentual do seu salário para apoio à criação da UNIJUI;
- Foram integradas as quatro instituições de ensino superior de Ijuí mantida pela Fidene nos “Centros Integrados de Ensino Superior de Ijuí” que depois foi transformado em UNIJUI;

- O reconhecimento da UNIJUI ocorrido em 09/05/1985 provocou a discussão sobre as etnias, através de debate proposto pelo Reitor Adelar Francisco Baggio para a Retomada sobre: “Queremos uma cidade universitária ou uma universidade na cidade”?;
- A retomada desencadeou o debate e criou uma comissão para estudar o assunto, constituída pela UNIJUI (Mário Osório Marques), Presidente da Câmara de Vereadores (José Zanchet), representante da imprensa (Regina Perondi) e representante das Igrejas (Frei Genésio);
- Na reunião da Retomada de 07/06/1985 a Comissão apresentou a proposta de “Culturas Diversificadas” e foi aprovada por unanimidade pelas 61 instituições presentes;
- Na reunião de 12/07/1985 foi feita a 1ª discussão das “culturas diversificadas” na plenária da Retomada sob o enfoque de “Ijuí cidade Universitária”;
- Na reunião de 16/08/1985 foi feita a 2ª discussão sob o enfoque de “Ijuí,  terra das culturas diversificadas”;
- Na reunião de 13/09/1985 foi decidido que a Retomada daria prioridades às culturas diversificadas;
- Em novembro de 1985 foi feita outra discussão e foram dados os seguintes encaminhamentos:
  . deveria ocorrer  um evento anual sobre a temática que se denominaria de “Fenadi- Festa Nacional das Culturas Diversificadas. O nosso horizonte tinha a dimensão nacional, marcada pela cultura e festa;
  . o evento deveria ocorrer junto com a EXPOIJUI;
  . a UNIJUI teria um papel relevante em levar em frente a idéia;
  . a idéia central da FENADI deveria materializar a idéia de “Ijuí, Centro/Pólo Cultural Regional”;
  . o foco central da FENADI deveria tratar de manifestações artístico-culturais, culinária, vestuário, memória, intercâmbio e relacionamentos nacionais e internacionais, registros históricos e arquitetura, entre outros;
- Em outubro de 1985 ocorreu a 2ª EXPOIJUI, contudo nada foi feito com relação à FENADI durante o evento. A 2º EXPOIJUI teve a visitação de 135.000 pessoas;
- Em outubro de 1987 foi realizada a 1ª FENADI em conjunto com a 3ª EXPOIJUI, com o seguinte slogan: “Diversas vertentes fazem o rio  das grandes águas”. O slogan faz referência às culturas diversificadas e o “Rio Ijuí”, denominada pelos índios como o “Rio das Grandes Águas”;
- Neste ano foram sensibilizadas e mobilizadas, sob a coordenação do Prof. Baggio, cinco etnias: alemã, italiana, polonesa, japonesa e russa. O processo se consolidou com três etnias: alemães, italianos e poloneses
- O presidente dos dois eventos foi o Prof. Adelar Francisco Baggio, 1º e Ex-reitor da UNIJUI e o Vice-presidente foi o Élbio Paulo Bagetti, como representante da ACI. O prof. Baggio foi alocado pela UNIJUI com tempo integral para presidir a 3ª EXPOIJUI e 1ª FENADI, com pagamento do seu salário. A IMASA disponibilizou um carro, a Prefeitura pagou o combustível, a ACI colocou a disposição uma sala com fax e telefone e a 36ª Delegacia de Educação colocou a disposição uma secretária para o Prof. Baggio;
- Em 3/4/1987 foram anunciados os nomes do Presidente e Vice-Presidente dos Eventos e os nomes dos Coordenadores das Comissões.  Foi neste evento que foram divulgadas as primeiras informações e metas com relação ao movimento étnico;
- Os principais interlocutores do Prof. Baggio eram: Mario Osório Marques, Argemiro Jacob Brum, Paulo Afonso Frizzo, Danilo Lazzarotto. As principais instituições que serviram de fontes de informações: FEE, Museu Antropológioco Diretor Pestana da UNIJUI e os escritos do Padre Antonio Cuber;
- Os trabalhos se desenvolveram a contento, com excelente participação da Prefeitura (Prefeito Wanderlei Agostinho Burmann), UNIJUI, ACI, COTRIJUI e as Comissões dos  Eventos;
- A imprensa deu total e decisivo apoio, particularmente o Jornal da Manhã, a Rádio Repórter e Radio Progresso;
- O processo de organização das etnias obedeceu as seguintes orientações geradas pela Comissão Central da EXPOFENADI de 1987, constituída pelo Reitor da UNIJUI e Presidente da Fidene, Presidente da ACI, Prefeito Municipal, Presidente da COTRIJUI e Presidente e Vice presidente dos dois eventos:
    . as etnias não poderiam ser apadrinhadas por políticos ou por uma só família. Deveriam ser “algo coletivo”;
   . as casas típicas seriam construídas no Parque de Exposições em forma de comodato com o Poder Público Municipal;
   . a etnia deveria organizar-se em forma de “entidade cultural” e ser liderada pela própria etnia. A modalidade encontrada foi a de Centros Culturais;
   . o foco central das etnias deveria tratar especialmente dos aspectos culturais e históricos da respectiva etnia;
   . a etnia poderia se articular com outras entidades da mesma etnia no Brasil e exterior;
   . as etnias deveriam ter mútua ajuda, respeito, diálogo, integração e não se constituírem em “guetos fechados”, sem provocação de conflitos;

 4. PROCESSO

   O processo ocorreu da seguinte forma: o Prof. Baggio realizava reuniões iniciais com um grupo de pessoas de cada etnia, após sensibilização, motivação, construção de relacionamentos, com apoio e cobertura da imprensa.
As primeiras reuniões ocorriam em clubes, igrejas, sindicatos, famílias, outras entidades ou localidades do interior. Foram feitas mais de 70 reuniões na cidade, no interior de Ijuí e nos municípios de Panambi, Augusto Pestana, Ajuricaba, Catuípe e Pejuçara.
Na segunda ou terceira reunião ocorria a criação da Comissão Provisória da Etnia e daí para frente as reuniões eram feitas com a presença do Prof. Baggio e Coordenadores das Comissões dos Eventos para encaminhar assuntos referentes ao movimento, tais como: local para construção da casa, contatos com Embaixadas, Consulados e outros movimentos semelhantes que ocorriam em outros municípios do RS, Santa Catarina e São Paulo.
As Comissões que mais participaram das reuniões foram: cultura, infra-estrutura e marketing. Uma vez constituídas as Comissões das três etnias (alemães, italianos e poloneses) foi criada a Coordenação Geral envolvendo os representantes das referidas etnias e o Presidente dos dois eventos.
Esta entidade atuava de forma semelhante à UETI, contudo com espectro de complexidade bem menor.  Durante o período de maio a outubro de 1987 ocorreram fatos pitorescos, muito trabalho, articulações e ações criativas e empreendedoras de cada uma das etnias.
Exemplo: foi feito uma polenta de mil quilos. O fato foi mencionado até no Fantástico da Rede Globo.
- Os eventos de 87 tiveram a visitação de 201.000 pessoas;
- Neste ano de 1987 foi feito o 1º desfile de carros alegóricos das etnias e o Natal das Etnias;
- O ano de 1988 foi marcado pela 2ª FENADI e a 1ª FEITEC – Feira de Tecnologia, tendo sido Presidente e Vice o Prof. Adelar Francisco Baggio e o empresário Jalmar José Martel;
  . Não foi realizada a EXPOIJUI neste ano, pois deveria ocorrer de 2 em 2 anos e a última tinha sido realizada no ano anterior;
  . Ocorreu a visitação de 51.000 pessoas aos eventos;
  . O slogan da 2ª FENADI foi “Culturas diversificadas fertilizam solos e cérebros”;
  . Neste ano funcionavam 12 grupos de dança, 7 corais e 4 grupos de música das etnias;
  . Participaram na 2ª Fenadi os centros culturais dos letos, austríacos, afro-brasileiros, holandeses e portugueses, além daqueles que haviam participado em 87;
   . Neste ano de 1988 foram feitos os torneiros de esporte das etnias e os jantares de confraternização.
 Os eventos visavam principalmente desenvolver trabalhos conjuntos, vivenciar a ajuda mútua e angariar recursos financeiros para a construção das casas típicas, viabilizar os grupos folclóricos e mobilizar a comunidade em tornos do movimento.
Cada etnia organizou um torneio e um jantar de confraternização e as demais participavam com times e outras formas desportivas ( vôlei, cartas, futebol, etc...) e ajudavam na venda dos ingressos das demais etnias.
A renda dos eventos era da etnia organizadora e a finalidade era ajudar na construção das casas típicas e viabilizar os grupos folclóricos.

 5. DÉCADA DE 90 E NOVO SÉCULO

 - ACI assumiu a responsabilidade pela gestão do Parque de Exposições;
- Início do processo de internacionalização da FENADI;
- Organização dos seguintes grupos culturais: árabes, suecos, espanhóis e organização da querência gaúcha;
- Conflitos “emergentes” entre as etnias e a ACI/Prefeitura;
- Comemoração do centenário em 1990 com grande impacto nos dois Eventos no município;
- Expansão do número de grupos folclóricos. Chegamos a ter em alguns anos mais de 30, com mais de 800 jovens, crianças e adultos participando;
- Elaboração de documentos, estudos e livros sobre o assunto;
- Ida de grupos folclóricos para outros Estados  Brasileiros e para o exterior;
- Vinda de grupos folclóricos de outros países para Ijuí;
- Ensino de uma dezena de idiomas no município;
- Participação das entidades tradicionalistas no movimento através da “Querência  Gaúcha”, superando definitivamente a postura de resistência que certas lideranças tradicionalistas tinham no início com relação às etnias;
- Participação direta, espontânea e voluntária de aproximadamente 3.000 pessoas nas atividades das etnias, como pais, coreógrafos, cozinheiros, construtores, etc...;
- A idéia da diversidade cultural foi assumida em vários municípios
- O movimento recebeu vários prêmios e títulos de reconhecimento do Governo Estadual, da Assembléia Legislativa do RS e em Festivais Internacionais de Folclore;
- Realização de parcerias dos Centros Culturais de Ijuí com entidades semelhantes de outros países;
- Vinda para Ijuí de Embaixadores, Cônsules, autoridades e pesquisadores de países de origem das etnias para tomar conhecimento do movimento

 6. PRINCIPAIS FONTES DE INFORMAÇÕES SOBRE A ORIGEM E OS PRIMEIROS ANOS DA EXPOFENADI UTILIZADOS PARA FAZER ESTE DOCUMENTO:

 - Atas da “Retomada para o Desenvolvimento de Ijuí”, localizadas na ACI;
- Documentos e reportagens publicadas pelo Jornal da Manhã dos anos 1983 em diante, disponibilizados pelo Museu Diretor Pestana da FIDENE/UNIJUI;
- Livro publicado pelo Prof. Baggio em 2002 cujo titulo é “Da Fragmentação para Convergências e Desenvolvimento da Comunidade Ijuiense”.  Existem  ainda exemplares à venda no Museu Diretor Pestana;
- Material do Museu  Diretor Pestana da FIDENE/UNIJUI;
- Escritos do Prof. Mário Osório Marques;
 - Monografias e reportagens elaboradas por alunos do Mestrado e da Graduação da UNIJUI que se encontram na Biblioteca e Museu da UNIJUI;
- Escritos do Prof. Jaeme Callai
- Memória do Prof. Baggio e de algumas pessoas entrevistadas que participaram do início do movimento.

 7. AS 31 ETNIAS QUE PARTICIPARAM DO PROCESSO DE COLONIZAÇÃO DE IJUI:
 
- Alemã, italiana, polonesa, portuguesa, austríaca, indígena (guaranis e kaingang), africana, espanhola, uruguaia, árabe, leta, argentina, paraguaia, norte-americana, francesa, belga, russa, brasileira, filandesa, grega, holandesa, japonesa, judia, lituana, síria, rutena, sueca, theca, ucraniana e húngara;
- Principais fontes: livro do Padre Cuber (1898), escritos do Mário Osório Marques, escritos do Danilo Lazarotto, escritos do Jaeme Callai, Censo da Colônia de Ijuhy de 1896 e outras publicações e documentos;

8. ALGUMAS CITAÇÕES DE DOCUMENTOS

 a) Livro do Padre Cuber publicado em 1898: “ Nossa comunidade recebeu prazerosamente representantes de pelo menos 19 nacionalidades, pois esse é o número de idiomas que se ouvem por aqui.
Até parece a “Babel do novo mundo” ou a Europa Gaúcha. Segundo as estatísticas oficiais aqui e encontram as seguintes nacionalidades... poloneses, lituanos, rutenos, thecos, alemães, austríacos, italianos, suecos, filandeses, portugueses, brasileiros, africanos, indígenas, espanhóis, franceses árabes, gregos, judeus”.
b) Censo da Colônia de Ijuhy, realizado em 1896: africanos, alemães, austríacos, espanhóis, italianos, norte americanos, russos, suecos, suíços, brasileiros
c) Por outras informações é possível saber a existência de holandeses, judeus, libaneses, sírios, japoneses, argentinos, paraguaios, uruguaios e outros povos  

 9. PRINCIPAIS DESAFIOS PARA CURTO E MÉDIO PRAZOS

- Continuidade e ampliação do movimento com inclusão de mais etnias  que participaram do processo de colonização de Ijuí;
- Consolidar a internacionalização do movimento;
- Construção e implantação de programa turístico no município e região articulado com as rotas nacionais e internacionais do turismo tendo as etnias como vetor central, em parceria com Governo do RS, Governo Federal e Governos e instituições de outros países parceiros;
- Aumentar a interação com países do Mercosul e países de origem das etnias;
- Iniciar intercâmbio econômico com países parceiros do movimento;
- Aumentar a participação de maior número de jovens e crianças no movimento;
- Qualificar sempre mais os grupos folclóricos, a culinário, etc...;
- Ampliar processo de estudo e pesquisa sobre os imigrantes, estratégia de colonização e outros aspectos relevantes de história e da atualidade da nossa terra e da nossa gente;
- Aumentar o número de publicações sobre a temática;
- Fazer entrevistas com pessoas de maior idade de todas as etnias;
- Continuar e melhorar o desfile das etnias;
- Realizar mais documentários sobre o movimento geral e sobre cada etnia;
- Viabilizar alguns serviços permanentes relacionado com as etnias, de forma articulada com o Museu Diretor Pestana, hotéis, restaurantes e outras entidades ijuienses;

10. CIDADE UNIVERSITÁRIA

  Tenho consciência do meu relevante papel no processo de construção do movimento das etnias. Confesso que a maior satisfação pessoal da atualidade relacionada às etnias é o fato de que estamos construindo a “cidade universitária”, em resposta ao questionamento que nos fizemos em 1985: “cidade universitária ou uma universidade na cidade?”

 11. DESTAQUES

a) Imprensa local: Jornal da Manhã, Rádio Repórter e Rádio Progresso;
b) Prefeito Wanderley Agostinho Burmann teve um papel decisivo no encaminhamento e construção do processo. Merece a homenagem de ter o seu nome na denominação do Parque dos Eventos;
c) Importância e papel relevante das Igrejas com destaque ao Frei Genésio da Paróquia São Geraldo, Padre Jorge do Povoado Santana e do Pastor Ferreira;
d) Famílias e pessoas voluntárias, particularmente aos membros das Comissões Provisórias e da Primeira Diretoria de cada Centro Cultural;
e) Museu Antropológico Diretor Pestana que desde o início fez a guarda de documentos, fotos, publicações e reportagens;
f) Membros da “Comissão das Culturas Diversificadas”;
g) Os seguintes empresários que ocupavam cargos na Diretoria da ACI e em outras entidades empresariais, com participação importante na retomada: Ortiz Iboti Scherer, Afonso Celso Hass, Élbio Paulo Bagetti e Bruno Alberto Haas, com apoio técnico do Advogado Antônio Carlos Burtet;
h) Os membros das Comissões Provisórias e das primeiras Diretorias dos Centros Culturais;
i) À FIDENE/UNIJUI que tomou a decisão de colocar a disposição para a comunidade ijuiense o Prof. Baggio para presidir a 1ª Fenadi e 3ª EXPOIJUI, através da solicitação do Reitor Telmo Rudi Frantz;
j) Coreógrafos dos grupos folclóricos das etnias;
l) As pessoas de “mais idade” que atuavam fortemente atuaram no início do processo na culinária, museus e registros históricos;
m) As crianças e jovens que se engajaram no movimento principalmente através dos grupos folclóricos;

 12. COMISSÃO CENTRAL E PRESIDENTES DAS COMISSÕES SETORIAIS DA 3ª EXPOIJUI E 1ª FENADI

 12.1. Comissão Central

- Prefeito Municipal – Wanderley Agostinho Burmann
- Presidente da ACI – Afonso Celso Haas
- Presidente da FIDENE e Reitor da UNIJUI – Telmo Rudi Frantz
- Presidente da COTRIJUI – Oswaldo Miotti
- Presidente do Poder Legislativo de Ijuí – Antenor Sakis
- Presidente e Vice da 3ª EXPOIJUI e a 1ª FENADI – Adelar Francisco Baggio e Élbio Paulo Bagetti
 
12.2. Presidentes das Comissões Setoriais

- Jurídica e Assessoramento Especial – Antônio Carlos Burtet
- Infra-estrutura do Parque – Valdir Heck
- Divulgação, Apoio Promocional e Comunicações – Carlos Renato Fricke
- Finanças, Bilheteria e Ingressos – Nereu Paulo Patussi
- Informações, Recepção, Hospedagem e Área Social – Rossevelt T. Barros
- Credenciamento – Marcos Antônio Noll
- Trânsito, Segurança e Saúde – Hélio Pedro Bauer
- Alimentação – Clóvis Thomas
- Agricultura e Artesanato - Nelci Pedro Baroni
- Cultura – Paulo Afonso Frizzo
- Comercialização de Espaços – Artur Roberto Schmitt
- Exposição Pecuária – Herivelto Ramos Pinto

13. MENSAGEM DO PROF. MÁRIO OSÓRIO MARQUES

 “As etnias diferençadas necessitam reencontrar-se de novo, não para se igualarem uma as outras, mas para somarem, como forças sempre ativadas, às outras formas de agrupamento e aos diversos setores da vida e economia locais nas lutas que caracterizam o movimento histórico brasileiro.
As diferenças sociais, culturais e políticas e de classe são, entre nós, penetradas e influenciadas pelas diferenças étnicas. Nenhuma delas, porém, é monolítica, nem exclusiva das demais formas de identificação e agrupamento.
Para entendermos nossa realidade social e podermos, assim, atuar com eficácia sobre ela, é necessário estarmos atentos a todas aquelas formas de vida e pertença”.

14. MENSAGEM FINAL DO PROF. ADELAR FRANCISCO BAGGIO
                                
     Estamos mostrando que é possível a paz entre as nações
                                                                                      E

                 Estamos lidando com um dos sentimentos mais profundos e nobres das pessoas:

                                                                        A LONGEVIDADE


Ijuí, 12 de outubro de 2013



Prof. Adelar Francisco Baggio*
 

*Adelar Francisco Baggio é professor e ex-reitor da Unijuí. Professor Baggio e professor Mário Osório Marques foram os mentores do surgimento do movimento das etnias em Ijuí em função da colonização do município ter se caracterizado pela diversidade étnica.
Postar um comentário