segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Imigrante alemão que fotografou Ijuí a partir da década de 1930

     O professor José Augusto Fiorin, graduado em História e pós-graduado em Ciências Sociais reproduz em seu blog importante artigo01 no qual revela que o “hobby” do imigrante alemão, Christian Walter, um dos proprietários do “Moinhos Walter” ou “Moinho Ijuí”,02 era – além de industrialista da farinha - também fotógrafo nos dias de folga. 
O fotógrafo Christian Walter tinha Ijuí em seu coração
 Além de registrar fatos e acontecimentos importantes na família também gostava de bater fotos da cidade de Ijuí que lhe acolheu com muito amor e carinho. 
Nesta foto batida por Christian Walter aparece a Praça da República em 1941, depois de reformada pela administração do Prefeito Emílio Martins Bührer. O coração de Ijuí foi mudado para mostrar a todos que o ciclo do coronelismo de Dico estava definitivamente superado. A foto foi clicada por Christian em frente da Igreja da Natividade. Aparecem ainda os prédios da Prefeitura, do Clube Ijuí e do Edifício Hocevar.
A revelação desse “hobby”foi feita por seu filho Harry Walter (hoje com mais de 80 anos). O qual informou ao professor Hilário Barbian que o gosto de fotografar do seu pai começou por volta de 1935, e dali para frente centenas de fotos foram batidas por Christian Walter. 
Outra foto histórica de Ijuí colhida por Christian Walter em torno do meio dia de um domingo de julho de 1934. O fotógrafo postou-se em frente do local onde hoje está o Edifício Moreno, conseguindo clicar uma vista inédita da cidade. A Rua do Comércio, acima dos trilhos, ainda era de chão batido. No horizonte, ainda havia matos nativos.
 Ele era um homem com visão de futuro e das mudanças que sempre acontecem, e assim justificava seu interesse em fotografar dizendo sempre que “no futuro meus filhos e meus netos poderão ver como era a cidade de Ijuí...”. Registrado na reportagem como o “alemão imigrante que gostava de fotografar Ijuí”, Christian Walter deixou não somente para a família este grande presente, mas também para todos ijuienses que amam esta terra imagens inéditas e sem dúvida históricas, que nos mostram um pouco mais de como era a cidade de Ijuí no século XX.
O registro de Christian agora é da rua do Comércio, no dia 25/jul/1937: 1) Consultório do Dr. Kulmann, hoje Relogioaria Vogt; 2) Antigo ônibus Chevrolet da Viação Koch, de Panambi, enfeitado devido ao Dia do Colono; 4) Oficina mecânica de Alberto Sabo; 5) Casa de Móveis de Alberto Jost; 6) Edifício de um Hotel, hoje Loja Quero-Quero; 6) Edifício que foi a 1ª sede da Rádio Progresso.

Importante:

1.  O artigo publicado no blog do professor José Augusto Fiorin em relação ao texto original escrito  pelo professor Hilário Barbian e publicado originariamente no jornal “Hora H”, de Ijuí,  na seção "A história através da fotografia", no dia 27 de março de 2007, é o mesmo, apenas está mais enriquecido por mais fotografias.
2. O “Moinho Ijuí” está localizado na rua Bento Gonçalves (e recentemente comemorou 85 anos de atividades em Ijuí). Para ver a reportagem sobre as festividades e o histórico da indústria acesse: http://www.ijuhy.com/noticia-ler.php?id=19293
Postar um comentário