sexta-feira, 19 de junho de 2015

Hospital de Caridade de Ijuí fundado em 1940, completou neste 19 de junho de 2015, 80 anos de fundação!





















No inicio da década de 30, o crescimento do comércio, da indústria e das escolas no município de Ijuí evidenciou a necessidade de atendimento médico-hospitalar avançado para a época. 


A ideia de construir um hospital cresceu com a chegada dos médicos Amadeu Ferreira Weimann, Agostinho Brenner e Caio Neves Coelho, que contaram também com o incentivo de Álvaro Batista de Magalhães, Ulrich Löw e Antônio Setembrino Lopes. O sonho começou a tomar forma em 1933, quando a família Chiapetta doou dois terrenos para a construção do Hospital de Caridade de Ijuí.
Levantamento da Cumieira do primeiro bloco do Hospital de Caridade de Ijuí em 1939...
  A fundação da Associação Hospital de Caridade Ijuí, data de 19 de junho de 1935, concretizada mediante Assembleia na qual foram aprovados seus Estatutos. Em apenas um ano a instituição já reunia 80 sócios. 
Reunião da diretoria na década de 40, quando era presidente o sr.  Artur Oscar Germany
 O primeiro pavilhão do Hospital foi inaugurado no dia 09 de junho de 1940, sendo que o seu funcionamento começou no dia 23 do mesmo mês, sob responsabilidade das Irmãs "Filhas do Sagrado Coração de Jesus".

Primeiro Bloco do HCI no ano de 1940.
 O Primeiro presidente da Associação foi o juiz de direito Artur Oscar Germany, que exerceu o cargo até o final de 1940, quando então foi eleito o Sr. Antônio Setembrino Lopes, permanecendo no cargo, por sua vez, até o ano seguinte. 

Foto publicada na Revista Comemorativa aos 50 anos de emancipação de Ijuí - em 1962

Foto publicada na Revista Comemorativa aos 50 anos de fundação de Ijuí - 1890-1940.
 
 A construção do segundo pavilhão, bem como a remodelação e modernização do Bloco Cirúrgico, ocorreu durante a gestão exercida pelo comerciante Henrique Rodolfo Gressler, até 1972, quando então o cargo passou para o Sr. Leony Coimbra de Souza, que exerceu até 1975.


 O Sr. Amadeu Ferreira Weimann, por sua vez, exerceu o cargo desta data até 1979, quando assumiu o Sr. Milton Ways, que exerceu as funções até 1986. 
O médico Darcísio Perondi assumiu nesta época e trouxe o marketing que marcou uma nova fase, "O Hospital é da Comunidade é a Comunidade é Você" traduzia a nova imagem e acabou consolidando o trabalho nessas últimas décadas com a construção do terceiro bloco, onde  a pedra fundamental foi lançada em novembro e em janeiro de 1989 foram iniciadas as escavações das fundações e o apoio da comunidade foi decisiva para a concretização desta obra. Vinham doações de todos os gêneros, dúzias de ovos, sacas de soja, tijolos e apoios financeiros dos clubes de serviço.  Mas o grande salto foi proporcionado pelo Bônus da Saúde, uma iniciativa inédita no Estado e que a diretoria teve a ousadia de implantar, em parceria com hospitais filantrópicos de Santa Maria, Pelotas, Caxias do Sul e Passo Fundo.
Foi um empreendimento arrojado, sério, de amplo alcance social que divulgou Ijuí e seu movimento comunitário para todo o RS. 

O Bônus da Saúde proporcionou, de 1990 a 1994, a conclusão do terceiro bloco, com estrutura de 8.200 m2,  ampliação do número de leitos e aquisição de moderna tecnologia. 

Neste período foram implantados serviços importantes como as UTIs neonatal e adulto, radiologia, oftalmologia, banco de sangue, banco de leite, pronto socorro, farmácia, centro cirúrgico e centro obstétrico. 
O Hospital passou a realizar transplantes de córneas, transplantes renais, investiu em urologia, aplicou recursos em endoscopia, tomografia e na hemodiálise.


Modernização tecnológica é um das marcas do HCI

A posição do HCI como referência regional tem habilitado a instituição para receber serviços de alta complexidade, destaque para a oncologia e cardiologia. Desde 2004, o Centro de Alta Complexidade em Oncologia, chamado Cacon, é uma realidade e um acerto da diretoria do HCI. Atende uma demanda cada vez mais crescente de pacientes. Os dados são assustadores, são 200 novos casos por mês. Somente no mês de maio deste ano, foram 6 mil e 44 atendimentos.
 Em 2009, mais uma inovação com a implantação do Instituto do Coração, uma parceria do HCI com o Ministério da Saúde e com o Governo do Estado. O Incor abrange uma ampla região e tem salvado muitas vidas, sendo que na cardiologia intervencionista, que tem a função de desobstruir as veias do coração, foram realizadas no ano passado, 3 mil 955 atendimentos.  A diretoria do HCI sempre buscou parcerias importantes para conseguir atingir objetivos bem claros da instituição, em cima de um planejamento estratégico organizado. A ideia é oferecer novas tecnologias e serviços que os demais hospitais não possuam, evitando assim uma competição desnecessária e reforçando a condição de hospital macrorregional. Neste período também foi inaugurada a  UTI Coronariana, que serve de suporte para os procedimentos do coração.
 Em 2013 entra em operação o serviço de medicina nuclear, único na região noroeste, uma espécie de super raio x, que ajuda na identificação de doenças, ainda em estágio inicial.  No ano passado, outra novidade na área de diagnóstico por imagem, um tomógrafo de 128 canais, ou seja, onde é possível identificar uma doença fazendo 128 cortes de imagens de um único órgão como por exemplo, o fígado.   
“Sem dúvida, uma bela caminhada. onde a diretoria estimula a transformar desafios em oportunidades, em consolidar competências em várias áreas de atendimento, contando com a força do quadro administrativo, do empenho da equipe de saúde e da equipe técnica. E a comunidade ajudou a construir uma nova história para o seu hospital”, resume o presidente Cláudio Matte Martins que está no comando desde 2008.

Perspectivas e Desafios

Segundo o presidente Cláudio Matte Martins, embora o HCI  tenha se preparado para o futuro, com constantes melhorias e investimentos em tecnologias, sempre com contra partida da instituição, ainda sofre com a falta de repasses do maior cliente, o Sistema Único de Saúde-SUS.
“Como prestador de serviços ao SUS, a nossa instituição teve ao longo de 2014, sérios prejuízos de ordem financeira, devido aos atrasos nos repasses do SUS, de serviços já prestados. Entre o mês e outubro do ano passado até hoje, deixaram de entrar no caixa mais de 11 milhões de reais, que trouxe um desiquilíbrio nas contas. O Estado diz que não tem dinheiro para nos pagar, enquanto isso, lutamos para manter os atendimentos para quem mais precisa, mas tivemos que tomar medidas amargas como protelar pagamentos de fornecedores e profissionais médicos e ainda diminuir 10% do nosso quadro funcional”, avalia.
 Apesar das dificuldades de ordem financeira, que atingem todas as 245 instituições filantrópicas do RS,  o hospital conquistou pontos positivos no decorrer do último ano, como a decisão do Ministério da Educação (MEC) de liberar a criação do curso de Medicina em Ijuí, já que desde o princípio do projeto, o HCI é parceiro da Unijuí.  O Ministério da Educação garante que um dos requisitos para um município ser apto a receber uma graduação em Medicina, atestado durante as visitas técnicas, é ter hospital escola ou unidade hospitalar com potencial para hospital de ensino.  Técnicos do Ministério visitaram o HCI para analisar a estrutura hospitalar, com especial atenção aos equipamentos de saúde, ao número de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) e aos possíveis programas de residência médica.
 Há três anos, a instituição hospitalar macrorregional, tem a experiência de uma residência médica, com três especializações, clínica médica, cirurgia geral e mais recentemente radiologia e diagnóstico por imagem, contando atualmente com 18 médicos residentes incorporados na rotina do hospital.
“Por fim, nosso agradecimento a cada colaborador(a) do HCI, a cada  médico(a), a cada instituição parceira, a cada colega de diretoria e principalmente a comunidade de Ijuí e de toda a região que fazem desta instituição, uma referência macrorregional. Continuamos atentos as oportunidades de crescimento e acima de tudo zelamos e primamos pela excelência no atendimento médico-hospitalar da nossa comunidade macrorregional”, finaliza o presidente do HCI.

Fonte do texto e algumas fotos antigas: Site do HCI. Disponível em: http://www.hci.org.br/site/noticia_detalhe.php?codigo=1021
Postar um comentário