domingo, 13 de setembro de 2015

Denúncia: Marco histórico de Ijuí - e muitos outros - no Distrito de Alto da União está destruído e abandonado há vários anos... Nos 125 anos de fundação está na hora de se valorizar mais os diversos patrimônios e pontos históricos do Município de Ijuí, caso contrário serão apenas lendas/imagens para as próximas gerações...!

Foto publicada no Jornal da Manhã do dia 20 de setembro de 1986, quando o jornal fez uma reportagem histórica sobre o Distrito de "Alto da União".
































     A cerca de uns mil metros, de onde havia duas grandes figueiras - e sob as quais o Diretor da Colônia de Ijuhy, Dr. Augusto Pestana, realizou em 1909, a histórica reunião em busca da paz e harmonia entre os Chimangos, (partidários do presidente do Estado, Borges de Medeiros, e os Maragatos, liderados por Assis Brasil) e da qual se originou o nome de "Alto da União") - no sudeste da Vila, hoje Distrito de Alto da União, interior do município de Ijuí, há uma coxilha que parece ser o ponto mais alto do lugar e da região.
Uma ideia de localização do Distrito de Alto da União em relação a sede do município de Ijuí
  Tanto que, em 1924, lá foi colocada uma torre (de madeira???) de retransmissão (sistema de comunicação usado pelo Exército), de sinais na direção de "São Tiago", hoje município de Santiago, chamada de "Carta Geral". (Fonte: Livro "Alto da União e sua história" escrito pelo historiador Danilo Lazzarotto. Série Cadernos do Museu Antropológico Diretor Pestana - MADP, número 14, publicado em 1986 pela Livraria UNIJUÍ Editora).
Uma imagem mais próxima do Distrito de Alto da União. Procurando mostrar a sede do Distrito e a localização de diversos pontos históricos da história de Ijuí. Aliás, infelizmente, a maioria sem identificação, conservação, preservação ou maiores registros históricos...

 Não se tem notícias até quando o sistema funcionou. Há informações que na passagem por Ijuí, via Alto da União, a Coluna Prestes teria se usado da Torre para controlar e observar a cidade de Ijuí, em especial as tropas de policiais e defesa da cidade. O fato é que com o passar dos anos tal serviço foi desativado.
Uma visão do Marco histórico a partir do ponto onde estaria as 2 figueiras históricas. O monumento está "perdido e abandonado" no meio da lavoura...
Para assinalar o local da torre - e também como um dos pontos mais altos do município e da região, o IBGE, teria colocado ou inaugurado no dia 29 de outubro de 1950, um pequeno Marco, que por muitos anos foi conservado pelas administrações municipais e moradores da localidade. 

Vamos nos aproximando do Marco...

Inclusive, de acordo com uma foto publicada no Jornal da Manhã no dia 20 de setembro de 1986, o Marco ainda tinha uma certa proteção de ferro, porém com o passar dos anos, infelizmente tal importante ponto histórico foi esquecido e praticamente abandonado, e quase destruído, em meio a uma lavoura de soja ou de trigo.
Um testemunho, uma sombra do que sobrou de grandes acontecimentos históricos na história de Ijuí, nos primeiros tempos de sua colonização...
  Ao nosso ver, quando se comemora os 125 anos de fundação de Ijuí, a Administração Municipal, talvez a Secretaria de Turismo, ainda tem tempo de recuperar alguma coisa, ou ao menos limpar o locar, sinalizar, colocar placas indicativas e históricas do Marco para que possa ser visitado, conhecido e lembrado pelas próximas gerações. 
Um Marco histórico com grandes sinais de abandono e depredações...
 Na verdade, toda a região do Marco é histórica, pois além de estar próxima ao local onde existiam as duas figueiras históricas também está a uns 2 a 3 quilômetros de um antigo e clandestino cemitério, onde segundo moradores mais antigos, ali teriam sido enterrados diversas pessoas, tanto do lado dos Maragatos como dos Chimangos, que foram mortos, degolados,... nas diversas batalhas e lutas ocorridas na localidade.... 


 Neste mesmo local, talvez onde hoje existe essa lavoura, foi o primeiro aeroporto de Ijuí, onde desceu o primeiro avião da Varig "Livramento" no município de Ijuí, em novembro de 1934.

Luis Carlos Ávila - o Bagé
Projeto "IJUÍ - MEMÓRIA VIRTUAL".


Registramos abaixo mais algumas fotos do que sobrou do Marco do IBGE/do local da Torre,  e que está entregue a sua própria sorte.... ou.... 
 



Ao fundo, a uns 2 a 3 quilômetros um mato de eucaliptos onde, segundo moradores mais antigos da localidade, era um cemitério clandestino e onde foram jogados, enterrados muitas pessoas que foram degoladas, mortas nas diversas lutas e combates entre os Chimangos e Maragatos que moravam ou se encontravam na localidade no início do século passado...
Postar um comentário